Manifestantes invadem plenário e suspendem sessão na Assembléia

Plenário é invadido por integrantes da CUT e Servidores da Assembléia Legislativa.

Servidores da Assembleia Legislativa e integrantes da CUT (Central Única dos Trabalhadores) invadiram o plenário da Casa nesta terça-feira (29) e suspenderam a sessão que acontecia no local. O protesto foi realizado devido ao não pagamento do reajuste salarial de 11,98% dos funcionários. A manifestação foi coordenada pelo Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa e Tribunal de Contas do Espírito Santo (Sindilegis).

Os deputados estavam na sessão quando os manifestantes forçaram a entrada do plenário. O segurança que estava na porta chegou a ficar levemente ferido.

Diante da manifestação, os parlamentares ficaram acuados. O presidente da Casa, Rodrigo Chamoun, usou o microfone para exigir que os servidores voltassem aos postos de trabalho, mas foi vaiado pelos manifestantes.

Com o tumulto, um integrante do movimento passou mal e foi atendido pelo deputado Hércules Silveira (PMDB),q ue também é medico. Após uma hora de protesto, os manifestantes foram retirados do plenário e a sessão para votação do Orçamento foi retomada.

O pagamento de 11,98% aos servidores da Assembleia Legislativa (Ales) foi concedido a título de reposição de perdas salariais desde 2001 para os servidores públicos estaduais, por conta de planos econômicos editados pelo Governo Federal.

A incorporação ocorreu por determinação do então presidente da Ales, deputado Elcio Alvares (DEM), após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidir não só pela imediata incorporação, mas também pelo pagamento dos atrasados. No entender de Marcelo Santos, não interessa ao Estado transformar essa dívida em precatórios.

Fonte: Folha Vitória