Gildevan quer regionalizar a merenda servida nas escolas

Gildevan sugere que merenda servida na escola seja feita dos produtos cultivados no ES

O deputado Gildevan Fernandes (PV) sugeriu ao Governo do Estado que a merenda servida aos alunos da rede pública estadual de ensino utilize somente produtos alimentícios cultivados no Espírito Santo, especialmente os provenientes da agricultura familiar.

A ideia, formatada na Indicação nº 82/2012, é instituir no Estado o Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme). O objetivo é garantir a utilização de gêneros alimentícios regionais na merenda escolar e fomentar a geração de emprego e renda no interior.

Na Indicação, Gildevan Fernandes lembrou que Estados como Amazonas, Pará, São Paulo e Rio de Janeiro já adotaram o programa. E destacou que a política alimentar nacional incentiva a regionalização da merenda escolar.

A Lei Federal nº 11.947/2009 estabelece que 30% dos recursos da merenda escolar sejam destinados à compra de produtos da agricultura familiar, ressaltou Gildevan.  Acrescentou que isso contribui para a interiorização do desenvolvimento e o resgate de hábitos alimentares locais.

O deputado anotou, ainda, que a Lei prevê que “o apoio ao desenvolvimento sustentável, com incentivos para a aquisição de gêneros alimentícios diversificados, produzidos em âmbito local e preferencialmente pela agricultura familiar e pelos empreendedores familiares rurais, priorizando as comunidades tradicionais indígenas e de remanescentes de quilombos” é diretriz da alimentação escolar.

“Destaque-se que esse programa tem entre os seus objetivos principais o beneficiamento das famílias de produtores rurais, tendo como conceito base a substituição de gêneros alimentícios na merenda escolar por produtos típicos das regiões, estimulando não somente a valorização da cultura local, sobretudo o desenvolvimento sustentável”, argumentou Gildevan.

Ales