Agricultores recebem R$ 4,8 milhões para produzir merenda escolar

O Governo do Estado vai comprar a produção agrícola de 500 produtores rurais capixabas para ser destinada à merenda escolar de mais de 180 mil alunos de cerca de 350 escolas da rede estadual. Serão investidos, ao longo deste ano, R$ 4,8 milhões, quatro vezes mais que o destinado em 2012, quando foram aplicados R$ 1,19 milhão.

A compra dos produtos faz parte do Programa Vida no Campo, da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag)  que conta com a articulação da Secretaria da Educação (Sedu) e Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

 

No início de janeiro, a Sedu realizou uma chamada pública para que agricultores familiares oferecessem seus produtos. Oito cooperativas e uma associação de produtores responderam e com a volta à aulas irão atender a mais de 180 mil alunos, de cerca de 350 escolas.

 

Benefícios

 

O programa multiplica benefícios em todos os lados. Os agricultores têm garantia de compra de seus produtos e os alunos das escolas públicas têm a certeza de acesso a alimentos de qualidade. Para a gerente de Apoio Escolar da Sedu, Ipoliane Braga, “Os itens são de boa qualidade e, para as famílias que vão realizar a venda, é uma forma de agregar valor ao produto e ter a segurança de um comprador durante o ano todo”.

 

Na lista de produtos estão frutas, verduras, legumes, laticínios e peixes que poderão contribuir para uma alimentação ainda mais saudável dos estudantes atendidos.

 

Agricultura familiar

 

A agricultura familiar no Espírito Santo possui números expressivos no Espírito Santo. Mais de 77% das propriedades rurais são de base familiar. Elas são responsáveis pelo cultivo de 45% do café, 50% do leite, 75% do feijão e quase que a totalidade da produção de hotaliças, verduras e legumes. Além disso, cerca de 75% do agroturismo ocorre nas propriedades familiares.

 

Com o programa ‘Vida no Campo’, a Seag conduz 13 projetos nas áreas de infraestrutura produtiva, comercialização, assistência técnica, crédito rural, acesso à terra, habitação e capacitação. Até 2014 a meta é aplicar aproximadamente R$ 2,5 bilhões em disponibilização de crédito e investimentos para alavancar o setor.

 

Para reforçar e ampliar a infraestrutura na área rural, por intermédio da Seag, o Governo do Espírito Santo investe também na pavimentação de estradas rurais municipais e no reforço na oferta de energia elétrica. Outro setor que merece destaque é o de telefonia. Ainda no primeiro trimestre de 2013, a Seag vai iniciar os trabalhos para a implantação de telefonia móvel 3G nas localidades interioranas onde o serviço não está disponível.

 

Nas atividades geradoras de renda, os investimentos do sistema público agrícola estadual se concentram na renovação do parque cafeeiro, na consolidação dos polos de fruticultura, na tecnificação e no melhoramento genético da pecuária, na ampliação da agricultura orgânica e no fortalecimento das atividades aquícolas e pesqueiras.

ASCOM/SEDU