Superprodução em assentamentos rurais do ES

Famílias estabelecidas, casas próprias e carros novos. Essa realidade até bem pouco tempo, em áreas rurais do Espírito Santo, era sinônimo apenas de grandes agricultores ou de famílias tradicionais com atuação na agropecuária.

Mas hoje em dia, pequenos agricultores de assentamentos rurais regularizados vivenciam essa realidade e tal estabilidade foi alcançada com as grandes produções obtidas em pequenas áreas de plantios. O segredo: organização, acesso e aplicação das tecnologias disponíveis e muita disposição para o trabalho.

“Não é por ser assentamento que não é possível ser eficiente e rentável. As tecnologias e as políticas públicas estão disponíveis para todos os públicos. Os resultados dos pequenos agricultores desses assentamentos comprovam a disponibilidade de recursos e as oportunidades”, ressalta o secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Enio Bergoli.

Na região do distrito de Nestor Gomes, em São Mateus, cerca de 240 famílias de seis assentamentos rurais colheram na última safra 38 mil sacas de café Conilon, produção que gerou cerca de R$ 9.5 milhões de faturamento.

Com produtividade superior a 70 sacas por hectare, o desempenho das lavouras dos assentados supera e muito a média de produtividade atual das lavouras capixabas, que é de 33 sacas/ha.

“Além do café, que ocupa as maiores áreas e é o plantio mais tradicional, também investimos no cultivo da pimenta-do-reino. Conduzimos as lavouras com eficiência e alcançamos produção de 3 quilos por planta. Mais recente iniciamos os plantios de seringueira e cacau, para promover a diversificação e ampliar a renda. Mas é importante destacar que sem crédito financeiro e apoio público nossa realidade poderia não ser a mesma”, destaca Joãozinho Santos de Souza, assentado da região há 27 anos.

Somente com a pimenta-do-reino, a produção de 130 toneladas na última safra gerou R$ 1.56 milhão de faturamento. Para ampliar a infraestrutura produtiva dos assentamentos regularizados, a Seag organizou com o ‘Vida no Campo’, um investimento de R$ 1.2 milhão, para aquisição e repasse de um conjunto de tratores, microtratores, caminhões, veículos utilitários, secadores e piladores de café e diversos implementos agrícolas para contribuir com a revitalização dos assentamentos.  Ao todo, serão beneficiados 17 assentamentos nos municípios de Pinheiros, Montanha, Conceição da Barra, São Mateus, Nova Venécia, Mantenópolis, Pancas e Ecoporanga, onde vivem aproximadamente 700 famílias.

ASCOM/Seag