Pinheiros, 50 anos de história!

08pinheiros-5972-4ecaa6211f472Pinheiros – Uma cidade com uma bagagem histórica única, Pinheiros completa no dia 22 deste mês, cinquenta anos de emancipação político-administrativa, e para comemorar este cinquentenário é importante relembrar um pouco de sua história. Hoje, com cerca de 24 mil habitantes e uma área de unidade territorial aproximada em 975 km², Pinheiros é palco de uma estrutura diferenciada em termos de cultura, economia, avanços tecnológicos, entre outros fatores.

O seu desenvolvimento se deu aos poucos, desde as primeiras explorações feitas pelos desbravadores de Minas Gerais e Bahia. Ao longo dos anos, Pinheiros foi se aperfeiçoando e buscando se estruturar nas áreas da educação, segurança, saúde, saneamento, entre muitos outros aspectos. A cada ano que passava, os avanços eram notados, pois o povo pinheirense sempre possuiu características de um povo batalhador e que luta por melhorias a cada dia. Na primeira administração do Município, já se buscou realizar a construção da Delegacia Municipal, a reforma do primeiro grupo escolar do distrito de São João do Sobrado e a instalação da Biblioteca Municipal.003

Com as novas administrações, Pinheiros foi se desenvolvendo ainda mais e se expandindo economicamente. De início, explorando o cultivo do feijão, milho, café, da cana de açúcar, mandioca, e agricultura e pecuária em São João do Sobrado, até a chegada do ciclo da fruticultura, especialmente do mamão. A expansão econômica do Município possibilitou uma movimentação da economia local já atraindo para a cidade agências bancárias, ainda com pouco tempo de emancipação.

Portal da região Doce Terra Morena, Pinheiros também sempre se destacou nos aspectos culturais, pois nos períodos considerados mais ricos de sua história foi palco do tradicionalismo da folia de reis, narrações de lendas, animadas festas juninas, cantigas de rodas, feira livre, forrós, a Virada Radical, festas de vaquejadas – consideradas uma das melhores do Estado – e até cinema para divertir a população, o denominado “Cine Serrinha Bahia”.

MATRIZ PINHEIROSPara falar da cultura local, ainda deve-se citar o famoso Festival da Canção (Fescap), que é um marco de sua história. O Fescap, antes de virar um projeto adormecido, foi uma realização cultural muito rica e turística para o Município, pois atraía pessoas de diversas regiões do Brasil. Quem o idealizou e o colocou em prática no ano de 1985 foram os alunos da Escola Estadual de Ensino Médio “Nossa Senhora de Lourdes”, que na época convidavam os compositores locais para apresentar seus trabalhos, juntamente com artista do Brasil inteiro animando essa festa e movimentando Pinheiros de maneira contagiante. Infelizmente hoje para muitos só restam saudades desta época, mas apesar das mudanças no contexto cultural, a nova geração também não deixou que Pinheiros ficasse esquecido. Atualmente, empresas de exportação de mamão e nomes de peso como o do artista plástico Adelton Silva, Banda Chapéu de Palha, vocalista da banda Casa de Bicho, Wallas de Jesus Fonseca e o jogador de futebol Romeu dos Santos, levam o nome da cidade por onde passam demonstrando desenvolvimento econômico e cultural.

Em Pinheiros temos também a Reserva Biológica Córrego do Veado, que foi criada em 1982 e possui 2.392 hectares de mata atlântica. Este é um local preservado, com belezas naturais e rica fauna silvestre.

A culinária pinheirense é baseada nos “frutos da terra”, ou seja, as iguarias derivadas da mandioca fazem o casamento com a carne de sol, além de usar frutas para o enriquecimento da culinária.

Pinheiros é assim, um lugar rico culturalmente e que valoriza a terra e o homem do campo.

Parabéns Pinheiros, pelo seu Cinquentenário!