Audiência pública debate construção de ‘Super Porto’ em São Mateus, ES

Projeto prevê 1,5 milhão de metros quadrados de área construída.
Instalação deve gerar cerca de 2 mil empregos diretos na região

São Mateus – Moradores, representantes do poder público e empresários se reuniram durante uma audiência pública para debater sobre a construção do ‘Super Porto’, empreendimento saudita que será instalado no litoral de São Mateus, no Norte do estado. Esta foi a primeira reunião realizada para abordar o tema, que gera discussão sobre os impactos gerados pela obra para a população local.

O porto deve ser instalado a partir de 2015, em Urussuquara, e tem investimento previsto de R$ 2 bilhões. No total, o espaço construído contará com uma área de 1,5 milhão de metros quadrados e deverá empregar, diretamente, 2 mil pessoas quando iniciar a operação.

De acordo com a procuradora da República, Walquiria Imamuli Picoli, entre as principais preocupações apresentadas pelos moradores estão questões sociais e de e infraestrutura. “Há pescadores artesanais que poderão ter sua forma de subsistência afetado pelos impactos trazidos pela implantação do empreendimento. E também há uma busca muito grande por empregos a serem criados nesses empreendimentos que estão sendo instalados no estado”, explicou.

A procuradora contou que a participação da comunidade no encontro foi positiva, assim como diálogo entre as partes. O mega empreendimento é o investimento prioritário do príncipe saudita Khaled Bin Al Waleed, que esteve no estado em outubro de 2013 e assinou o protocolo de intenções da construção do porto.

“A audiência pública foi realizada em uma dessas comunidades, que foi Campo Grande. Ele ( o investidor árabe) já tem algumas experiências com empreendimentos aqui, a Transpetro é um deles, e foi muito bom. Houve um debate muito profundo das questões, ideias favoráveis, ideias contrárias, pontos positivos e negativos do empreendimento”, contou.

A audiência é uma forma do Ministério Público Federal (MPF) agir como mediador no processo de construção da obra. “Já estão sendo dados os primeiros passos. Em virtude desses primeiros passos, o MPF se antecipou para realização a fim de que, quanto antes a população já saiba onde e de que forma será instalado, melhor”, concluiu.

PMSM