Ello, uma rede social sem anúncios que quer ser o anti-Facebook

Talvez você tenha ouvido alguma coisa sobre o Ello nos últimos dias. Trata-se de uma nova rede social com uma característica marcante: eles não precisam vender anúncios.

O Ello quer se posicionar como o anti-Facebook, e aparentemente as pessoas estão entrando aos montes no serviço – ou, ao menos, ele está fazendo bastante barulho. Certamente não é a primeira rede social alternativa, e pode ser apenas uma moda passageira, mas de qualquer forma, está ganhando bastante atenção. E qual o motivo de tanto barulho?

O Ello foi criado por um grupo de artistas e designers e atualmente está em fase beta fechada para convidados. Ele tem uma interface limpa meio hipster preta e branca que mostra sua lista de amigos no lado esquerdo com pequenos avatares circulares, e seu feed no lado direito, com o que seus amigos estão postando. Clean e simples – mas talvez o visual seja simples até demais e a experiência de usuário é terrível. Obrigada, designers hipsters. Veja como está atualmente meu feed:

pls6w8bynzzra1krtpsnDemora um tempo para se acostumar com tudo. É que quando você quer ser o anti-Facebook, você precisa ser diferente do Facebook. O Ello precisa reverter um pouco uns conceitos simples de navegação, o que significa que ele sacrifica um pouco da intuição em toda a experiência. Mas o visual é incrivelmente simples! Você pode organizar seus colegas em duas listas: amigos e noise. É mais ou menos como os círculos do Google+, mas mais simples. Seu feed é fluido. Você navega fazendo scroll para baixo, mais ou menos como o Twitter na web mas sem limitação de caracteres e mensagens promovidas.

Você pode postar mensagens curtas, adicionar fotos e responder aos seus colegas de Ello. Você pode adicionar links e muito mais, mas nada de incorporar conteúdo de fora (esperamos que isso seja incluído no futuro), e o Ello já conta com integração de emojis. Ele também tem suporte a GIFs. Eis como aparece um perfil de um amigo. Veja onde você pode selecionar entre “amigo” e “noise”:

lww4smgulpmg8fcozllz

Acima da sua lista de amigos, você encontra um botão para adicionar/descobrir amigos, um para enviar convites, outro para configurações, e um menu hambúrguer que esconde sua lista de amigos e mostra apenas seu feed. Eis a página para descobrir outras pessoas:

fagiypoli0ylous3eqmz

A busca não funcionou para mim e nem para a maior parte dos meus amigos que já está no Ello. Precisei digitar o nome de usuário dos meus amigos na barra de endereço (ello.co/nomedeusuario) para encontrá-los.

De qualquer forma, os perfis não são muito diferentes dos perfis do Twitter, com uma grande imagem de topo, seu avatar logo abaixo com seu nome de usuário, posts e seguidores, e o avatar dos seus amigos na esquerda. Além disso, há pouca coisa para explicar, e qualquer pessoa que já mexeu no Twitter e no Facebook podem encontrar tudo facilmente. A ênfase está no design e simplicidade. Isso é bom, mas não quando é simples demais e acaba atrapalhando o que deveria ser fácil de usar.

O manifesto do Ello é, obviamente, sobre manter o site livre de anúncios. Não vai aparecer nada no site oferecendo suplementos para perda de peso, nem cartões de crédito sem anuidade. Então como o Ello pretende fazer para manter as luzes acesas? Na área chamada “WTF”, o pessoal do Ello explica que em breve eles oferecerão “recursos especiais” que pessoas podem pagar caso queiram adicioná-los à sua conta.

Então pense nela como uma rede social freemium. Mas o Ello também enfatiza que, diferentemente de redes sociais que começaram sem anúncios e depois de um tempo passaram a exibi-los, eles nunca vão mostrar anúncios.

fvavro0ekx3ga7gbh5ci

O veredicto ainda está em aberto em relação ao Ello ser ou não uma rede social que as pessoas gostarão de usar. Eu entrei nela hoje cedo e só brinquei um pouco por lá. Além disso, todos os meus amigos do Ello ou são colegas de Gizmodo ou outras pessoas de mídia. Ótimo! Foi mais ou menos assim que o Twitter começou. E até agora ele segue os passos do lançamento de redes sociais alternativas como Branch e Potluck. Primeiro faça barulho, para então as pessoas fazerem de tudo para entrar e, logo depois, abandonarem o novo site.

Já vimos isso acontecer dúzias de vezes. O que significa que o Ello pode acabar se tornando uma comunidade para artistas ou para paranoicos de privacidade. No fim, ele deve ter um propósito bem diferente do atual. Afinal, temos que admitir: todos os nossos amigos estão no Facebook, e eles não vão para nenhum outro lugar.

Leslie Horn