Farmácia Popular administrada pelo Copbem foi fechada

Pinheiros – O Centro de Orientação à Saúde e Nutrição (COSAN), mais conhecida como a ‘Farmácia Popular’, que é administrada atualmente pela diretoria do Conselho Pinheirense do Bem Estar do Menor (Copbem), foi fechada.

Desde agosto havia uma discussão a respeito do possível fechamento da ‘Farmacinha das Irmãs’, que há 21 anos atendia a população, em função da necessidade de se utilizar o espaço para construir um novo refeitório e uma nova cozinha para a Paróquia São João Evangelista. “Na realidade, quando fizemos o pedido do terreno, tínhamos outra proposta que era a de manter a farmácia em outro local. Inclusive o Copbem possui um terreno onde a farmácia poderia continuar funcionando na saída do bairro Canário, e até mesmo a Paróquia tem um terreno atrás da comunidade São Jorge, onde já temos a intenção de fazer uma horta popular. A proposta foi feita à diretoria do Copbem e não foi aceita, pois encontraram dificuldade ao transportar as plantas de um lugar para outro e por ser longe. A Paróquia estava de acordo a arcar com a obra para que a farmácia continuasse funcionando caso tivesse sido aceita a proposta, mas decidiram fechar, decisão esta que não foi minha, mas sim do Copbem, uma vez que minha proposta foi mudar a farmácia de lugar”, afirmou o padre Marcos José Stinghel.

De acordo com uma carta aberta emitida pelo Copbem, na página do Facebook, no dia 24 de outubro às 16h09min, várias sugestões foram apresentadas e analisadas pela diretoria, que, em reunião realizada no dia 14 de outubro, concluiu:
– Que o remanejamento da horta implica em despesas, distanciamento do local de atendimento e necessidade de mais funcionários para atender aos dois espaços (horta e farmacinha);

– Que a horta em questão já passou por rigoroso critério de seleção e catalogação de plantas (chegando hoje a 125 espécies), e que sua remoção colocará tudo em risco;

– Que o projeto sempre foi desenvolvido em parceria com a Igreja Católica, que cedeu espaço para a horta e salas para atendimento, o que torna legítimo o pedido de desocupação pelo representante da Mitra Diocesana;

– Que foram esgotadas todas as possibilidades de argumentação sobre a necessidade de se dar continuidade ao projeto onde ele está instalado, sem reconhecimento por parte da Paróquia, na pessoa do seu representante.

Diante de todo o exposto, e, não tendo o COPBEM condições de manter o projeto, a entidade vem a público informar que o COSAN – Centro de Orientação à Saúde e Nutrição, também conhecida como “Farmacinha das Irmãs”, encerrará suas atividades no dia 27 de outubro de 2014, em virtude do cancelamento da parceria, a pedido da Paróquia.

O pedido de deslocamento também se deu por uma questão de organização. “A mesma cozinha utilizada para fabricação dos remédios é a mesma da Paróquia utilizada para preparar alimentos servidos ao povo em eventos, entre outros, e isso não é permitido, pois a qualquer momento poderíamos ser denunciados. Nós temos a intenção de trazer à população caso haja possibilidade de reabertura, uma farmácia (que funciona a nível nacional) que envia os remédios já prontos em cápsulas, e são manipulados por profissionais da área para facilitar o atendimento à população”, frisou o padre Marcos.

O dinheiro que entrava na farmácia também era administrado pelo Copbem e era utilizado para manter a própria farmácia. A diretoria do Copbem foi procurada pela equipe do Jornal O Capixaba na tarde desta quarta-feira (29), mas não foi obtido êxito ao tentar o contato até o momento desta publicação.